quarta-feira, 2 de junho de 2010




Cala somente e observa.
Mantém-te íntegro lá onde começas!

Domina o corpo - o que exige,
escuta a mente - a que pensa,
sê sobretudo alma - a que sente!

Equilibra-te na tênue linha
entre o ser e o não ser,
sob a áspera pele
onde moram os sonhos.

Lenise Marques

3 comentários:

Mila disse...

Linda poesia Sél!
Como sempre uma bela escolha...
bjs de boa noite!
Mila

Socorro disse...

Eu não queria apenas me calar, mas ser observada também!
Linda poesia, abraços!

Socorro disse...

Também agradeço sua visita, volte sempre e me traga novidades, rs... Beijos!