quinta-feira, 22 de julho de 2010

POEMA DO AMOR PERFEITO



Naquela nuvem,

naquela,

mando-te meu pensamento:

que Deus se ocupe do vento.


Os sonhos foram sonhados,

e o padecimento aceito.

E onde estás, Amor-Perfeito?


Imensos jardins da insônia,

de um olhar de despedida

deram flor por toda a vida.


Ai de mim que sobrevivo

sem o coração no peito.

E onde estás, Amor-Perfeito?


Longe, longe, atrás do oceano

que nos meus olhos se aleita,

entre pálpebras de areia...


Longe, longe... Deus te guarde

sobre o seu lado direito,

como eu te guardava do outro,

noite e dia, Amor-Perfeito.


Cecilia Meireles

3 comentários:

Michelle disse...

Sél que poema lindo!
Ótima escolha... e estamos nós mais uma vez pensando nesse 'amor perfeito' que talvez de perfeito não tenha tanta coisa... mas que ainda assim o queremos muito!
Beijo grande!

Mila disse...

Muito lindo esse poema de Cecília, transmiti uma dor muito difícil de superar...
Linda escolha!
Bjs
Mila Lopes

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Adorei quando dizes:

Sou ansiosa, mas tenho paciência ...
Amorosa, me apaixono facilmente...


Dir-te-ei que ansiedade eh phoda, e cuidado com as paixões fáceis, porque para sair delas... doiem!

Bjooo