terça-feira, 28 de setembro de 2010

POESIA!

Abra essa garrafa,
É vinho d’outra safra,
É poesia curtida,
Mas pode ser sorvida.

É perfume de alfazema,
Composto em um poema,
Veste a alma de alegria,
Desaperta em si a magia.

Todo poema é assim,
Um mar azul sem fim,
Água que beija a areia,
Ao canto de uma sereia.

E quando fala de amor,
O coração vira flor,
A alma se veste de lua,
E a paz se torna nua.

Na verdade me inebria,
Quando me toma a poesia,
Me eleva ao paraíso,
E de mais nada eu preciso.


Santaroza

5 comentários:

Nina disse...

Amei a poesia.

Bjos

Nina

Sônia Silvino disse...

Um brinde, amiga!
Vim deixar um beijinho antes de ir para a minha caminha dormir.
Saudades de você. Apareça para matar essa saudade!!!
Beijinhos, muitos!

Natural.Origin disse...

Belo cantinho este...

:)

█► JOTA ENE ◄█ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
█► JOTA ENE ◄█ disse...

ºººº
Sim, bela poesia...

Bjooo

PS - O teu comentário no "Incongruências" é válido, sim... óbviamente terei um contraditório para usar contra a tese que apresentas lá, mas seria fastidioso desenvolvê-la aqui... tens a resposta lá.