segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

DONA DE POESIA



Antes de vir para cá

Estava compondo o poema da vida
Com vassoura e rodo na mão
Balde com água e sabão
Molhando e apagando o pó do chão

Tinha um pensamento só
Exclusivamente voltado para a rima
Enquanto em cima da pia, a louça
Que não era tão pouca
Ia me observando e me deixando louca

Estava com um tanto de pressa, já
Para ver a obra acabada, enfim
Mas ainda tinha coisas a fazer
Costurar, lavar, passar e cozer
E outras, que não deixei para trás
Antes que pudesse escrever

Agora que estou aqui
Posso começar meu trabalho árduo
Todos os dias tenho essa labuta
Com as palavras e os versos travo uma disputa
Ser dona de poesia é uma luta!
O serviço nunca fica acabado!

Janete do Carmo

4 comentários:

Chica disse...

Que lindo e verdadeiro poema...beijos, tudo de bom,chica

Silvia disse...

Selma, passei para ler um pouco dessas belas mensagens que tu nos ofereces e desejar um ano de 2011 cheio de alegrias, paz, amizades, saude e muito sucesso.
Abraço

Lara Vic. disse...

AHH! EU CONHEÇO A AUTORA DESSE!
A-M-O os poemas da Janete, são muito lindos!

Lara Vic. disse...

AHH! EU CONHEÇO A AUTORA DESSE!
A-M-O os poemas da Janete, são muito lindos!