sábado, 1 de janeiro de 2011

INVICTUS



Do fundo desta noite que persiste

A me envolver em breu - eterno e espesso,

A qualquer deus - se algum acaso existe,

Por mi’alma insubjugável agradeço.


Nas garras do destino e seus estragos,

Sob os golpes que o acaso atira e acerta,

Nunca me lamentei - e ainda trago

Minha cabeça - embora em sangue - ereta.


Além deste oceano de lamúria,

Somente o horror das trevas se divisa;

Porém o tempo, a consumir-se em fúria,

Não me amedronta, nem me martiriza.


Por ser estreita a senda - eu não declino,

Nem por pesada a mão que o mundo espalma;

Eu sou dono e senhor de meu destino;

Eu sou o comandante de minha alma.


William Ernest Henley

5 comentários:

Chica disse...

Linda e profunda poesia! beijos, feliz 2011!chica

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Hoje a minha visita
é para agradecer.
Cada visita sua ao meu espaço
de sentimentos,
inspira alegrias em
minha vida,
e leva o que de melhor
existe em mim.

Sua amizade é preciosa
em minha vida,
e há de continuar a ser
neste novo ano
que está nascendo.

Sél disse...

Chica, minha 1ª visitante desse ano ^^
2011 será um ano feliz prá vc também, é o meu desejo.
Bjs

Sél disse...

Aluisio, vc sempre com um delicado carinho.
Obrigado querido.
Um 2011 de sáude e fica combinado: mais um ano de minha amizade prá vc ^^
Bjs.

Lara Vic. disse...

lindo *-*