sexta-feira, 4 de novembro de 2011


Nada que reflete
arremessa
ameaça
estremece

a minha pressa
não permite
ver o visto
sem ver o vasto

o que não remete
não me interessa
não me atiça

o que não existe
é relativo
se num dia me matam
no outro
já estou vivo.


Claudio Schuster

3 comentários:

Míriam disse...

Amiga:
Ofereço a você o selinho comemorativo pelas 9000 visitas ao meu blog.
Obrigada por estar sempre presente em minha vida! Beijocas,
Míriam

Sônia Silvino disse...

Minha amada!
Escolheste mais um lindo poema!
Beijos e ótima semana!

Malu disse...

Passando para rever este espaço sempre singelo e suave!! Abraços