quarta-feira, 30 de novembro de 2011

SOU LOUCO


Já vou avisando
Falo com anjos
Paquero borboletas
Flores encantam-me
Sou capaz desligar-me
Ao vento que trás vozes
Adocicadas ao meu ouvido
Falo sozinho pra vc que lê
Perco-me nas paisagens
De minha mente veloz
Sou um pouco atroz
Cabeçudo mesmo...
...Sou assim...
Um tanto largado
Um pouco enjoado
Algumas vezes
Estilhaçado

...riu...

Sou engraçadamente sério
Sisudo, às vezes, me calo
Sofro sozinho, me desespero
Mas não quero... Espero

Só não me veja
Mais louco que sou
Não sou do mal
Só sou...
Honestamente
Louco... Louco...


Flavio Castorino

2 comentários:

LUCONI disse...

SEL eu amei este poema, que loucura deliciosa, beijos Luconi

Maria Luiza Silveira Teles disse...

Muito lindo o poema! é preciso ser louco para não cair na mediocridade, na mesmice e na doença do mundo atual...
Bjs,
Maria Luiza