terça-feira, 10 de julho de 2012

PONTO SEM NÓ


Você não dá
ponto sem nó
ponto cruz
ponto cheio
ponto ajour
jura que não
vive sem nós
mas nunca diz
a que veio
mon amour.

Nosso enredo enrolado
todo emaranhado
tecido por linhas tortas
foi desfiado
a trama é toda sua
personagem principal
quanto a mim
resta o papel vilão
do ponto final.


Alice Ruiz

3 comentários:

✿ chica disse...

Linda escolha e poesia!beijos,chica

Silvia disse...

Oi, adorei.
Abraço

mARa disse...

Bem emaranhada essa tela de fios e pontos, afins, enfim...
Ao Poeta resta sempre o ponto final.


belos versos, gostei imenso!

bjão!