quinta-feira, 10 de junho de 2010

ISENTO



Mira-te pelo calendário das flores

Que são só viço e esquecimento.
Desprende-te dos ofícios do dia,
Apaga os números, os anos e anos,
Releva a data de teu nascimento.
E assim, por tão leve sendo,
Por tão de ti isento,
De uma quase resistência de pluma,
Abraça o momento,
Toma por bagagem os sonhos
E apanha carona no vento.

Fernando Campanella

3 comentários:

Mila disse...

Que delícia de poesia Sél, viajei aqui...
Bjs querida
Mila Lopes

Psytasya disse...

Olá, Sél!
Obrigada pela companhia...
Gostei do seu espaço também.
É um prazer.

Beijo,
Psy

Flor ♥ disse...

Amo a poesia de F. Campanella...

Bjs.