domingo, 12 de setembro de 2010



Amor, sem alegria, é dor, é pranto;

Amor, sem dor, nem pranto, é fantasia;
Amor, sem fantasia, é desencanto
E amor, sem desencanto, é utopia.

Amor, se nunca ocorre, é lenda, é canto;
Amor, se nunca morre, é alegria;
Amor, se sempre amor, só traz encanto;
Amor é se encontrar amando, um dia.

Uns dizem que é o amor inexplicável;
Uns outros, que o amor deixa ferida;
Há aquele que já amou, que logo admite.

Defino-o como sendo interminável
E, certo de que o amor não tem limite,
Creio que é amor maior o amor à vida.

Bernardo Trancoso

2 comentários:

Allexia. disse...

Amor, sem fantasia, é desencanto ...
com toda certeza é...
Amo suas postagens... amo muito.
Beijos para você com carinho minha linda, agradeço o carinho que deixa no meu blog.
Vou ler mais um pouco aqui...
Até a proxima, rsrsrs

Helena Castelli disse...

Respiração

Respiro.
E sei,
assim,
Que já vieste!

-Há uma rosa
Na manhã agreste...

- Pedro Homem de Melo -

Deixo-te a ternura de um abraço.