segunda-feira, 6 de setembro de 2010

RONDEL AO MEU AMOR



Eu te amo com a alma cheia de esplendores
Nos cantos mais obscuros do infinito;
Eu te amo com a intensidade das dores
Que me deixam inconsequente e aflito.

E dos sonhos que tive de amores

Tu és a que vens cumprir o escrito,
Como o orvalho rouba frescor das flores
E a eternidade tudo que é finito.

Como não sei fazer um verso bonito,

Para aliviar teus doidos temores
Apenas repito o que tenho dito:
Eu te amo com a alma cheia de esplendores
Nos cantos mais obscuros do infinito.


Oswaldo Antônio Begiato


3 comentários:

Sônia Silvino disse...

Vim matar as saudades antes que elas façam doer o meu coração.
Tenha um feriado maravilhoso.
Beijocas, muitas!
Sônia Silvino's Blogs
Vários temas & um só coração!

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostei!

Beijo,
Doce de Lira

Baby disse...

Gostei muito e sublinho os versos que abrem e fecham o poema:

"Eu te amo com a alma cheia de esplendores
Nos cantos mais obscuros do infinito."

Palavras cheias de ternura e romantismo.

Um beijo.