segunda-feira, 11 de julho de 2011

IN ALEGRIAS QUE VOLTAM


Eu te amo,
como quem rabisca a parede,
brinca de pique,
pula um riacho.
Sem que saibas o quanto,
eu te amo,
de esconde-esconde,
por enquanto...

Eu te quero,
como o menino quer a bala,
o chocolate,
a bola de gude,
o sorvete!

Eu te amo como quem sabe
que o doce,
tem paladar efêmero,
e a infância,
gosto eterno!


Eurídice Hespanhol

Um comentário:

Sônia Silvino disse...

Que doçura!!!
Amei, Sél!
Beijinhos!