domingo, 14 de agosto de 2011

PARA A MANHÃ


Rosa acordada, que sonhaste?
Nas pálpebras molhadas vê-se ainda
Que choraste...
Foi algum pesadelo?
Algum presságio triste?
Ou disse-te algum deus que não existe
Eternidade?
Acordaste e és bela:
Vive!
O sol enxugará esse teu pranto
Passado.
Nega o presságio com perfume e encanto!
Faz o dia perfeito e acabado!


Miguel Torga

2 comentários:

✿ chica disse...

Lindíssimo poema!beijo,tudo de bom,chica

ValeriaC disse...

Estes versos são um alento, além de belos...
Boa semana...beijinhos...
Valéria