domingo, 5 de agosto de 2012

CHÁ DE POESIA


Preparo um chá de poesia,
e saboreio-o lentamente,
como ele deve de ser saboreado.
Afinal eu tenho sempre a chaleira dos poemas
ao lume e bolachas com pinguinhos de versos
prontas para servir a quem as quiser degustar,
assim como eu o faço.
Sôfrego engulo pétalas de rosas
e planto-as de volta no jardim de onde saíram
e para onde, triunfais, agora regressam...


Nuno Rita

Um comentário:

✿ chica disse...

Um chá assim é ótimo...Bom sempre e apetece!!beijos,chica